quinta-feira, 9 de junho de 2011

Manutenção do Arco

Ao pensarmos em Violino, o Arco é considerado um acessório. Engano super comum. Então, a não ser que se especialize em pizzicato, dispensando-o, ele é parte obrigatória do estudo do instrumento. E como o Violino, deve-se tomar cuidado para que ambos se apresentem na melhor forma, pois a realidade é que um complementa o outro e vice-versa e ambos correspondem cada um a 50% do som do seu instrumento. Quando comprei o Tenório, veio com ele um arco de fábrica, que não demorou muito  a crina se afrouxou por completo. Fui trocar a crina e descobri que o preço para a crina animal e o serviço (R$ 150) era o suficiente para comprar três arcos chineses. Adivinhe o que fiz? Comprei outro arco. Claro, que se fosse um arco de Pau Brasil Pernambuco que valesse mais do que o serviço, optaria por fazê-lo.

A hora de comprar um Arco Profissional ainda não chegou, por alguns problema$$$ particulares. Enquanto isso, tenho três arcos "estudantes". Um sem crina e parado, e dois em uso, quer dizer, um que acabou de desprender a crina na ponta do arco e vou arrumar. No mais, pesquisando sobre, encontrei a página do LombardiArcos.com e algumas dicas sobre a manutenção do arco:
  • É necessário trocar a Crina do Arco quando, a crina não estiver mais retendo o breu (o som não será pleno/ cheio), estiver faltando crina e/ou estiver muito suja ou velha.
  • Fachatura - É a parte de metal, cordão de seda, plástico, nylon, couro, etc..., aonde o indicador da mão direita se apoia, e tem durabilidade longa. Agora se for de couro, tem que ser trocado para que não haja um desgaste da madeira.
  • Curvatura / Alinhamento - O Arco pode perder a curvatura e cambar para os lados com o uso constante, portanto a curvatura / alinhamento deve ser sempre conferidas e corrigidas para que se obtenha uma tensão ideal da crina.
  • Ponteira - A ponteira de imitação de marfim deve ser trocada quando quebrar, pois sua função é proteger a madeira da ponta do arco que é uma área muito delicada e de grande vulnerabilidade.
  • Botão do Talão -  O parafuso deve estar sempre bem centrado ao arco. Com o uso constante existe um desgaste da madeira, por esse motivo o buraco do parafuso deve ser embuchado. A ponta do parafuso deve estar apoiada na madeira do arco (fundo do buraco), deste modo o botão não causará desgaste à madeira.
  • Talão -  O talão deve estar em perfeito ajuste com o arco, pois ele não pode ter movimentos de balanço. Quando isto acontecer haverá um desequilíbrio do arco sobre as cordas do instrumento. As ferragens do talão quando desgastadas devem ser trocadas (underslide, ferrule, bronze). Observação: os lubrificantes usados no arco devem ser: grafite (no underslide) e graxa especial seca (no parafuso).
As informações aqui, foram extraídas da página do Lombardi Arcos. Segue o conteúdo da página Contato:O atelier Lombardi Arcos fica na cidade de São Paulo e está aberto para receber visitas todos os dias. Ligue-nos para agendarmos um horário, (11) 3864 6642.

Escrevi essa matéria e relendo-a, após publicá-la, me ocorreu o seguinte, procure em suas cidades um profissional que possa avaliar a necessidade de trocar ou não a Crina de seu(s) arco(s). Fazendo o serviço, marque a data e veja quanto tempo até a próxima troca. Se tiver alguma informação sobre, eu agradeço.

2 comentários:

  1. Olá!Gostei muito de suas postagens!Mantenho a arte de confeccionar violinos há 23 anos.sou arquethier em algumas fabricas e lojas que vc cita.se puder,entre em contato,podemos ser grande parceiros... violinos@live.com

    ResponderExcluir
  2. Violinos & Acessórios, muito obrigado pelo comentário. Sim, entrarei em contato agora mesmo! Obrigado novamente!

    ResponderExcluir

Use com sabedoria!