domingo, 18 de março de 2012

Violino Eagle VK 644


Desde o ano de 2009 (a velha história da Oficina do Grande Prof. Hindemburgo)  vinha sonhando e pesquisando Violinos. Depois de muito estudar o assunto, optei pelo que pude comprar, ou seja, um violino de fábrica. O caminho contrário seria o de um Luthier ou algum Violino antigo e realmente os preços mais baixos para um violino deste porte começavam na faixa de R$ 2.000 e como é sabido sobem a estratosfera. Ainda não é chegada a hora.

O problema é que os preços dos violinos de fábrica são extremamente convidativos, começavam por R$ 185. Uma pechincha. Claro que tive que bater perna para poder verificar o que estaria comprando por no mínimo este preço e o que o mercado teria possibilidade de ofertar. Assim, vi os Acústicos Parrots, Shelters, Mavis, Michael, Nhureson, Eagle, Cremona, Tagima e Guarniere. E os Elétricos, Stagg, Eagle, Fender, Zeta, Marquês e Sojing.

A minha necessidade básica era um violino, arco, abafador de metal, estojo, espaleira e um breu. O orçamento me permitia um compra abaixo de R$ 1.000. Assim, fui por eliminação. Os elétricos, o Stagg me chamou a atenção, porém, compra via Internet e entrega no máximo em 20 dias, não quis arriscar.  Sojing, não, é muito feio. Eagle, talvez. Fender  e Zeta além do orçamento. Marquês, honestamente, não fui com a cara dele.

Pesquisando surdinas (outro post) decidi então, optar por um acústico e eliminei pelos comentários na Internet, Parrots, Shelters, Nhureson, Cremona, Tagima e Guarniere. Sobrou Michael e Eagle. Após ver estes dois em lojas,  tantos os Michaels e os Eagles, que me foram sendo mostrados eram de baixa qualidade. Por sorte, vi da Eagle, uma série específica que me chamou a atenção, os VKs (Violinos Envelhecidos). A numeração é VK 544, VK 644 e VK 744. Entrei em contato com a fábrica para ver qual o melhor entre eles e me explicaram que o 544 - o de menor numeração, era o melhor, pois se tratava de madeira envelhecida naturalmente por no mínimo 5 anos. Não sei. Procurei este no mercado e não tinha nem para remédio. O preço era de aproximadamente R$ 890. Com a disponibilidade de comprar o VK 644 por R$ 490, não pude adiar mais a compra. Final de ano, dois dias antes do Natal de 2010.  E estava ansioso para começar. Racional e completamente emotivo.

O problema de comprar um violino é que o mesmo vem desmontado. Cavalete, fora do lugar e cordas completamente frouxas. Se pedir para alguém montar e afinar o instrumento na loja, provavelmente vão dizer que não fazem esse tipo de "serviço". Assim, compra-se no escuro para levar para um Luthier resolver o problema, acertando os detalhes do instrumento e deixá-lo completamente tocável. No meu caso, restou ler o manual de instalação que não existe. Vários sites depois, acertei cavalete, lixando e alterando a altura, espaçamento das cordas e afinação. Isso já fazem 5 meses.

Este última semana, conversando com o Maestro Paulo Miranda, comentou ele que o estandarte estava um pouco para frente, normal após os primeiros meses de  utilização do Violino, pois o "rabicho" tende a afrouxar. Assim, teria que desmontar o violino, acertar o rabicho e posicionar o cavalete meio centímetro para trás. Serviço feito, os dedos que estavam acostumados nos seus respectivos lugares, ficaram desafinados. Comecei a exercitar o Laoureux tudo de novo. Paciência. 

O instrumento em si é bom. Eu é que sou ruim. O que quero dizer é o seguinte. Quando começamos a tocar algum instrumento, não temos a mínima ideia do que vivenciaremos no futuro. Quanto ao ouvido, será trabalhado com o passar dos tempos (no meu caso depois de séculos). Então, um belo dia, você escuta o instrumento que tanto tocou e vem uma sensação de que aquele instrumento ficou pequeno, menor, ... E aí vai querer partir para outro e depois outro, outro, ...  O motivo por trás disso é uma curiosidade, o instrumento quando sai de fábrica/luthier ele demora um tempo para trabalhar e chegar a sua maturidade e estabiliza.  Não vou especificar a quantidade tempo em dias, meses ou anos deste processo, pois depende de inúmeros fatores, como que instrumento, qual madeira, tocabilidade, verniz, temperatura, umidade da região, etc... E comparativamente ao ser humano, tendemos a evoluir sempre. Pelo menos os que se propõem a isso.

Tudo bem, esquece questões sociológicas e metafísicas. Evoluímos musicalmente enquanto o instrumento ficará parado no seu tempo no seu devido tempo, nos dando a sensação de diferença do dia em que tocamos ele pela primeira vez. Veja, é mais do que provável que jamais tocarei em um Stradivarius. Assim, teria um instrumento que seria digamos, 3.499.999 e EU 1 numa balança imaginaria (três milhões e meio de euros - o valor mais alto pago por um Stradivarius). Se hoje, tenho um instrumento que é 489 e EU sou 1, já me basta. Tenho certeza que o dia que a balança pender mais para o meu lado, felizmente o Tenório (nome do meu violino) terá companhia. Outros virão para aumentar a minha coleção.

Concluindo

Se pensar somente em dinheiro. Gastar pouco e tentar aprender Violino. Há uma grande possibilidade de se decepcionar auditivamente falando, muito cedo.  A qualidade do instrumento nesta fase inicial auxiliará no desenvolvimento. Um instrumento ruim sempre terá um som ruim. Já um mediano, soará ruim de começo e melhorará com o tempo. Assim o espero.

Bons Estudos.

Atenção: Escrevi um Post sobre o Violino Eagle VK 744, que saiu da linha de fabricação e posso estar muito errado, repito, posso estar errado, porém na minha opinião, afetou a qualidade desta série de Violinos da Eagle. Comentário esse, baseados nos Eagles VK 644 que tenho visto no comércio do Rio de Janeiro.

18 comentários:

  1. DISSE TUDO EU PENSEI QUE FOSSE DOIDA FAZ 2 ANOS QUE COMPREI UM VIOLINO EAGLE 431 E O SOM DELE ERA BOM NO COMEÇO MAIS AGORA TÁ HORRIVEL E ELE ESTA MENOR DO QUE A DOIS ANOS ATRAZ POR ISSO ADQUIRI UM EAGLE 644 E A DIFERENÇA TANTO NA PARTE DE ESTUDOS É CRITANTE MELHOROU MUITO MINHA VONTADE DE ESTUDAR POIS UM SOM RUIM NO VIOLINO É PÉSSIMO POIS PARECE QUE VC NÃO EVOLUI.

    ResponderExcluir
  2. Pelos seu comentário, valeu a pena ter escrito sobre o Violino Eagle VK 644, vulgo Tenório.
    Obrigado por participar.

    ResponderExcluir
  3. OTIMO COMENTARIO EU ESTOU NO MESMO DILEMA ENTRE EAGLE VK 644 E UM MICHAEL VNM69.

    ResponderExcluir
  4. Mariano... Eu não conheço o Michael VNM69, honestamente. O que posso te dizer é que o meu VK tem um som fantástico, principalmente quando o meu Professor, André Hack, pega ele para fazer aula com outros alunos. Eu ainda não consigo tirar a qualidade de som que ele tira no meu Violino. Assim, tenho muito que evoluir com esse instrumento. No final a escolha é sua, por isso, não tenha pressa em se decidir. Se tiver a oportunidade de tocar em ambos, já terá uma opinião. Atenção: se tocar em um VK e se sentir bem NESTE VIOLINO, não quer dizer que o que for comprar será exatamente ISSO. É uma coisa maluca, comprando um novo, pode ser que ele se desenvolva e fique um instrumento excelente ou simplesmente bom. É muito difícil prever o futuro de qualquer Violino NOVO que você compra desmontado. De resto, independente da compra, Luthier para acertar nut, encordoamento bom, cavalete, estandarte e se for o caso reposicionar a alma. Um encordoamento bom, também requer um arco bom, preferencialmente de crina. Uma coisa puxa a outra.
    Espero ter sido útil. Obrigado pelo comentário e bons estudos!

    ResponderExcluir
  5. Legal gostei da sua opinião sobre o vk644, bom eu tenho um vk144 e quero comprar um vk544, por ser de melhor qualidade. meu vk144 tah com um som maravilhoso, só q gostaria de um violino profissional!!
    Bom é só isso, na minha opinião vc fez uma ótima escolha!

    ResponderExcluir
  6. Alex.Violinos, obrigado pelo comentário. Por Favor, leia a matéria VK 744 (http://violinoacustico.blogspot.com.br/2012/02/violino-eagle-vk-744.html). Continuo sugerindo que, ao fazer qualquer compra, use o tato, toque se possível, cheire, olhe todos os detalhes, confira a qualidade, ..., e só depois disso tome uma decisão.
    Boa Sorte e Bons Estudos!

    ResponderExcluir
  7. Obrigado pela resposta...Porem agora estou em outro dilema que é comprar um violino eletrico e vi fender fv3 pela belza e achei ser superior ao fv1 porem descobri que só muda cor e vc paga 1.500,00 a mais por isso. Ai desisti do fender e vi MARQUES vo0923 e um outro feito por encomenda por um luthier da MV ELETRICO, tem um preto que gostei muito. Alguem saberia me orientar. "Que Deus abençõe a todos"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mariano, obrigado pelo comentário. Tenho visto e experimentado alguns Violinos Elétricos, inclusive comprei um usado da Stagg e vou te dizer uma coisa, são muito pesados! Pelo que percebi até agora, os fabricantes acham que só podemos tocar algumas músicas em um Show e enfiá-lo no Estojo!!! O Elétrico que estou de olho é um Yamaha Silent SV 130, especificamente para estudar com ele. O problema é que é o preço de um bom Violino de Luthier ou Antigo (R$ 3200). Só pode sugerir que você experimente todos até seu bolso poder decidir! É o que tenho feito.

      Excluir
  8. Gostaria de saber se voces sabem de algum material que substitua o breu, pois estou com alergia (meu rosto fica coçando quando toco violino)ou se existe um ati alergico, ja havia comprado um ati alergico da clarity (BREU SUPER-SENSITIVE CLARITY) so que nao deu resultado.
    meu email é: diego.miceli@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma rápida pesquisada no Google - "breu antialérgico", encontrei dois outros fabricantes quem sabe te ajude em alguma coisa. O problema é ficar te$$$tando todas as opções.
      Boa sorte e bons estudos!

      Excluir
  9. Olá, entre o mavis 1416 e o eagle vk 644 qual é o melhor em sonoridade??? estou com essa dúvida cruel pois vou comprar um violino nessa faixa de preço e quero saber qual o melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas, poderia por favor consultar http://violinoacustico.blogspot.com.br/2012/11/violino-qual-escolher.html
      Obrigado pelo comentário.

      Excluir
  10. Nossa adorei o blog, eu toquei violino mt anos atrás numa feira de escola.E Nunca mais peguei num so a pouco tempo voltou essa saudade de tocar.Vou voltar ao curso e essa foi uma dica boa para comprar um violino.sempre é bom buscar conhecimentos com outras pessoas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Michele, por favor, observe algumas matérias que escrevi como a que está na resposta ao Lucas Vieira, logo acima de seu comentário.
      Só por curiosidade, qual curso pretende fazer?
      Obrigado pelo comentário.

      Excluir
  11. A pouco tempo, iniciei minhas primeiras aulas de violino. E comprei o VK644, não sei, ainda não mudei nada, nem cordas, cavalete, nada! E quando meu professor toca, é lindo o som, mas quando vou praticar meus estudos eu tenho a impressão de que o som esta péssimo! Lógico que tenho grande participação para o som ser ruim, mas percebi uma diferença de quando meu professor toca no meu e no dele. Queria alguma sugestão de cavalete, cordas, breu, como sou nova nessa área estou perdida em o que comprar para melhorar meu instrumento. Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jeiciany, é normal dois Violinistas tirarem sons distintos no mesmo instrumento. E se percebe a qualidade sonora que ouve (seu professor) e a que esta conseguindo, já é meio caminho andado para melhorar e sempre o ouvido. Particularmente vou repetir o que tenho comentado, troquei o encordoamento do meu VK644 por Mauro Calixto e comprei vários arcos até casar com um de fibra de carbono e crina animal. Hoje uso cordas da D'Dario e sonho com Eudoxa. Breu ainda uso o que veio nele. Cavalete, já andei baixando a altura para que as cordas fiquem mais próximas do espelho e atenção: isso é gosto pessoal. Enquanto estiver trabalhando na 1ª posição não faz muita diferença. De qualquer forma, além do que comentei aqui, por favor, consulte seu professor. Tenha sempre uma 2ª, 3ª, ... opinião.
      Você acabou enviando o seu comentário duas vezes. Não tem problema.
      Obrigado pelo comentário.

      Excluir
  12. Então, no meu curso eu toquei com um vk 644 que tinha lá e o case dele no meio estava escrito
    " eagle series " em amarelo só que eu não vejo mais esse case nas ruas agora pelo que percebi o case do vk 644 está igual o do vk 544 pq esse case que tem lá no meu curso ele tem senha e uma trava de segurança e esse case normal de agora só tem a trava. Eu gostaria de saber se tem alguma diferença de acabamento e sonoridade entres o violino desse case antigo que esta escrito " eagle series " e esse normal com o " eagle " do lado direito do case.

    ResponderExcluir
  13. Boa pergunta e não sei responder. Melhor, sei! Sim, provavelmente existem as diferenças o detalhe é que como varia de instrumento para instrumento dentro da própria linha de montagem, não sei dizer se mudou para melhor ou pior os Eagles atuais. Volto a estudar em uma escola no semestre que vem e espero ter contato com outros Violinos/Violinistas. Quem sabe consigo uma resposta. Obrigado pelo comentário.

    ResponderExcluir

Use com sabedoria!